13 de abril de 2016

RESENHA: Uma Noite Para de Entregar - Tessa Dare (Spindle Cove, #1)


Abril: Autores com as Letras L e T
Autor com T

Uma Noite Para se Entregar - Tessa Dare

Uma boa leitura. Foge do comum ao gênero em dois pontos para mim: Não estar centralizado em Londres e o cara não ser o Lorde, nobre propriamente dito. Quase não tive do que reclamar. Mas claro que tenho que reclamar de algo. Mas vamos do início.

Bram é militar. Essa é a sua função principal aqui. Ele é másculo, alto (embora eu sempre o visualize mais baixo que o primo), confiante, dono da verdade. Se feriu na guerra e faz 8 meses que está se recuperando.

Susanna é filha de um inventor renomado, conselheiro do príncipe, não é da nobreza, mas o mais próximo disso. Sua família tem dinheiro, posses e influência. É essa influência que ela usa para manter em Spindle Cove um retiro para moças de alta estirpe que destoam do "normal" para a sociedade.

Ri um bocado com os primeiros capítulos. Adorei a maneira como os dois se conhecem. Bem original e inusitado. Bram já é, desde o início, controlador. Ele gosta de ver tudo acontecendo à sua maneira, quando e porque ele quer. Pra mim é desconcertante isso, mas eu relevei pois ele é, no geral, um ótimo partido. Já Susanna é a perfeita mocinha enquanto está com ele nesse início e depois vai mostrando o restante de sua personalidade.

Gostei de não ter havido uma paixão relâmpago. Eles se apaixonam aos poucos pois se rendem ao desejo e atração que sentem um pelo outro. E o fato de isso acontecer em meio a uma confusão enorme é mais legal ainda. Ela tenta continuar com a rotina junto às meninas da Pensão e ele tenta se manter centrado em sua missão. 

O melhor do livro é ver que a vida não para na pequena vila, independente do que acontece entre os dois. A autora explora os demais personagens de maneira que eu cheguei ao ponto de shippar outros possíveis casais. Preferi nem ler a sinopse do seguinte pois quero surpresa, mas definitivamente vou continuar a série.

O que eu não gostei: a maneira como a Susanna perde a virgindade. Muito de mal gosto e um retrato daquilo que me incomodou no Bram. Ela queria, sim, ela queria. Mas se ele não tivesse pressionado tanto como fez eu acho que o resultado seria diferente. Achei meio controverso ela ser tão inteligente e independente e acabar sendo tão "indefesa" aos encantos e pressões dele. Foi uma exposição feia ao meu ver. Desnecessário. Não teve nada de romântico e bonito nessa cena.

O final foi bem intrigante. Adorei o capítulo centrado no Colin, e a maneira como a autora descreveu os acontecimentos e reviravoltas que levam ao "felizes para sempre".

Um comentário:

  1. Oi Evelyn,
    Concordo com você em tudo o que citou. Mesmo assim, após esse livro a autora entrou na minha lista de favoritas, porque é diferente de tudo o que temos lido por aí.
    Obrigada por participar do #desafioalfabetoliterario
    bjs

    ResponderExcluir