6 de abril de 2016

RESENHA: Um Beijo Inesquecível - Julia Quinn (Os Bridgertons #7)

Um Beijo Inesquecível - Julia Quinn


Imensuravelmente fantástico! Lembro de fazer o teste que a própria Quinn desenvolveu para os leitores descobrirem que Bridgerton era e o meu deu Hyacinth. Como ainda não tinha lido este e nos outros ela aparece sempre jovem, fiquei curiosa, mas agora tudo se encaixa.

Ela é demasiadamente parecida comigo, exceto fisicamente. Mas de resto, tudo o que ela fazia eu faria sem tirar nem por. E eu tive a minha cota de homens me chamando de louca com a ela. Mas nunca tive um Gareth. Para ela traduzir é uma empreitada cheia de emoção, como é para mim.

Gareth é hilário. Um tanto espirituoso e com um grau bem grande de determinação para aguentar Hyacinth sem sair correndo. E é isso que o tornou o par perfeito para ela. Suas reações e respostas rápidas além do grande amor que sente pela avó, nossa grande DIVA Lady Danbury já fazem dele um grande partido.

Aliás, poder ter tanto contato com Lady D, foi definitivamente um extra aqui. Essa senhora ácida e certeira garante um bom entretenimento a qualquer um mesmo. Uma das melhores personagens que já tive o prazer de acompanhar.

Só teve um único momento, uma decisão de Gareth que me deixou muito consternada. Não acho que ela merecia ter sido tratada como ele a tratou para assegurar que ela nunca desse para trás no tocante ao casamento, mas no fim do livro acaba se tornando necessária essa atitude, pois esse foi o único entrave verdadeiro do enredo. 

Sim, pois apesar de o pai dele ser um idiota completo, em nenhum momento da história ele se torna perigoso para os dois. Ameaça bastante, mas não fez nada de fato. E todas as outras situações altamente comprometedoras em que eles mesmos se colocam não tiveram consequências. Embora eu tenha ficado aflita por mais de uma vez, achando que alguém os atrapalharia.

Além da volta às gargalhadas desenfreadas, que eu tanto sentia falta, esse livro é permeado de aventura. Algumas características são comuns aos livros de romance histórico, como segredos potencialmente escandalosos, traições, donzelas normalmente donas de si mas que sucumbem à paixão. Mas esse sentimento de busca, de aventura e a adrenalina que vem junto com a caçada de um possível tesouro é mais rara. E por isso foi tão especial aqui.

Hyacinth é a partir de agora a minha heroína preferida da saga Os Bridgertons. Michael Sterling continua sendo meu Cavalheiro preferido e Colin meu Bridgerton homem mais apaixonante. Todos são, mas Colin...

Oh Gareth, Sim Gareth, Mais Gareth. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário