25 de novembro de 2015

RESENHA: Tormenta - Lauren Kate (Fallen #2)

Tormenta - Lauren Kate

Adorei. Enrolei tanto para ler essa sequência pois comprei a edição econômica sem querer e não curto muito essas edições pois a capa é frágil e as folhas muito fininhas. É mais por medo de estragar o livro durante a leitura do que qualquer outra coisa. Mas aí ele estava me chamando na estante há algum tempo e enfim me rendi.

Mais uma vez por ter demorado com a leitura me vi pesquisando resenhas de Fallen (que eu não fiz e não sei porquê) para preencher algumas lacunas. A história em si eu lembrava, mas um ou outro detalhe me escaparam. 

Não consegui ter uma opinião acerca de Luce aqui. As atitudes dela durante a história são tão voláteis, ora maduras, ora pirracentas, em outros momentos ela parecia bem consciente do perigo e logo em seguida fazia alguma coisa sem cuidado algum. 

Shelby e Miles foram ótimas adições. Suas personalidades são complementares o que agraciou Luce com uma dose bem-vinda de equilíbrio. Shelby é enérgica, tem a língua afiada e ao menos aparenta ter um grau de autoconhecimento superior ao de alguns nesse universo. Miles é calmo, emana uma aura de proteção. Ambos me deixaram com uma sensação de que há algo mais sobre cada um. 

O relacionamento que Shelby teve com Daniel no passado e que ela diz que foi algo de uma noite me parece que na verdade foi mais que isso. É só lembrar da reação de Daniel ao vê-la em Shoreline pela primeira vez. E Miles com suas capacidades subestimadas. Ele insiste em não ser nada importante por ter um parentesco longínquo com um anjo, mas as coisas que ele consegue fazer por Luce em mais de um momento na história não me parecem ser pouca coisa. Nesse mato tem cachorro e dos grandes.

Daniel foi tão enigmático e super protetor, achando que mantê-la ignorante seria melhor que o tiro saiu pela culatra. Em determinadas passagens ele chegou a ser chato, como se não confiasse nela com a verdade. Não sei se era só medo do que poderia acontecer. Em alguns momentos o que entendi é que ele a achava muito inocente, jovem para lidar com tudo. Como se ela fosse de cristal e realmente qualquer palavra fora do lugar fosse matá-la.

Cam poderia ter aparecido mais. Gosto dele. Francesca e Steven. A tensão entre os dois tem intensidade para preencher umas 400 páginas só com eles. Fica a dica para a autora. A escola tem aquela atmosfera típica de quase todas as escolas sobrenaturais de nossa literatura atual. Às vezes alguns cenários quase parecem repetidos. Muda-se a classe de personagem mas o local é comum.

Mas funciona. É uma escrita fluida. Tudo se encaixa naturalmente e achei engraçado que Luce comenta no final que não parecia que apenas 3 semanas tinham se passado desde que ela saíra da outra escola, mas que ela sentia como se fossem meses. Pois é assim que eu me senti também. Apesar dos títulos regressivos a cada capítulo, tanta coisa acontece que a impressão é de que cada capítulo se trata de ao menos uma semana. 

Claro que terminei com gostinho de quero mais. Aceito os próximos livros de presente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário