18 de outubro de 2015

RESENHA: Para Sir Phillip, Com Amor - Julia Quinn (Os Bridgertons #5)

Para Sir Phillip, Com Amor - Julia Quinn


Fofo. Não é o melhor da série mas não deixa de ser uma leitura agradável. Dei risadas, mas não tantas como anteriormente. Phillip é um ótimo personagem, as crianças: Amanda e Oliver são incríveis e queria ter visto mais passagens com eles.

Achei que sentiria muita falta das passagens da Lady Whistledown mas acabou que as cartas e bilhetes de Eloise cumpriram o papel muito bem além de nos possibilitar conhecer melhor a personalidade dela melhor através deles. Até porque não temos bailes nem nada da cidade nesse livro.

Não achei que ela chegaria a casa de Phillip como aconteceu, de forma tão inconsequente. Para mim isso tem muito mais cara de Hyacinth. Nos outros livros eu a julguei outra pessoa. Não a desgostei, longe disso, chego a pensar que somos parecidas. Mas ela é, no início, mais imatura do que julguei que seria, ainda mais sendo uma moça de 28 anos.

Phillip tem tudo para não ser um cavalheiro e ao mesmo tempo é. Na medida certa. O que o torna perfeito para a Eloise. Gostei muito dele, não de cara, mas definitivamente o homem certo para uma Bridgerton. Ainda mais para uma que que desgosta tanto das convenções londrinas.

As crianças mereciam mais espaço. Queria ter visto mais interações entre elas e Eloise. Seria muito interessante ver duas gerações de encrenqueiros se enfrentando. Tudo bem que no final as crianças conseguem exatamente o que queriam desde o início, mas eu imaginei isso acontecendo de outra maneira. 

Senti falta das risadas constantes. Acho que estava mal acostumada com os livros anteriores. Houve passagens engraçadas e me peguei fazendo caretas e imitando reações faciais, mas essa história foi mais densa, tensa mais adulta.

Meu capítulo favorito foi quando os 4 irmãos aparecem na casa de Phillip. Foi ótimo rever as 3 personalidades tão diferentes e conhecer um pouco do Gregory que aqui já aparece com seus 23 anos mas ainda sim sendo o irmão mais novo. Um menino ainda.

Eloise fala, ou melhor, pensa muito em Francesca e me fez ficar intrigada com ela. Passa a impressão de que ela seja a mais centrada dos irmãos, aquela que está do lado oposto deles em todos os sentidos. Normalmente eu fico na espera do que será que os faz únicos nessa família enorme, mas com Francesca eu quero descobrir o que a faz ser uma Bridgerton. E sabendo o quão sofrido oi seus últimos anos quero que ela tenha um romance arrebatador. Que venha Um Conde Enfeitiçado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário