11 de setembro de 2015

RESENHA: Peça-me o que quiser - Megan Maxwell (Pídeme lo que quieras, #1)

Peça-me o que quiser - Megan Maxwell


Início quase insuportável e final meteórico. Realmente ele é bem explícito, e essa coisa de oferecer o parceiro a outro não me apetece, mas dentro do universo deles tem lugar e faz sentido.

Eric é alemão e Jud é espanhola. Isso já é suficiente para garantir um bom enredo cheio de altos e baixos. Adorei a Jud. Ela tem uma personalidade bem parecida com a minha, só não aprovo os e-mails em demasia. Eric é irritante do início ao fim. Ele é mandão demais e pouco explicativo.

O cara querer manter distância emocional dela eu entendo, mas querer ao mesmo tempo que ela conte tudo e aja como se fosse propriedade dele é demais para mim. Não se encaixa. Se ele não quer dividir os percalços da própria vida logo de cara, porque acha que ela deve dar a ele todas as respostas inclusive o que faz ou deixa de fazer quando não estão juntos?

Ele chega ao ponto de colocar alguém para segui-la, exige que ela confie nele inteiramente na cama, mas não responde à coisas simples. Eu no lugar dela já teria posto um basta nesse jogo e picado minha mula lá ao menor sinal de possessividade sem reciprocidade. Vai ver é por isso que estou solteira! Mas não aguento, não concordo.

Adorei o fato de a autora falar nomes de músicas e colocar trechos, isso nos dá uma oportunidade de entender mais os personagens. Amei Blanco y Negro e recomendo que a leitura seja feita ao som dela. Linda música e combina direitinho com o casal.

As cenas de sexo podem chocar alguns, mas como eu já cheguei a conclusão que sou depravada mesmo, pouco me espantou. Continuo achando que 'Backstage Pass' é mais 'pesado'. Pois apesar de todo o voyeurismo e demais modalidades não-convencionais é bem claro o que eles sentem. Pode ter mais 3 ou 4 pessoas na cena, mas eles só pensam neles.

O carinho que resulta neles se apaixonando vai crescendo a cada capítulo de forma convincente. Só perdoei o Eric pelos ataques de posse e pelanca por causa das revelações feitas. Para o meu gosto ele demorou demais, esse achismo de autossuficiência é irritante. Homens não choram. Tá, aham. Senta lá, Claudia.

O final? Bem, para mim foi o melhor. No início ainda tinha minhas dúvidas se eu iria ler os demais, mas agora definitivamente ao menos o segundo eu vou ler. PRECISO saber o que ela vai fazer. Adorei vê-la tomando as rédeas da situação e não se submetendo às vontades do Iceman. Alias, toda vez que algum personagem se referia ao Eric assim eu logo pensava no meu ICEMAN. Kimi pode ser finlandês mas tem tudo para representar o Eric em meu imaginário. 

Ô lá em casa. (Com todo o respeito à esposa) <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário