7 de agosto de 2015

RESENHA: When I'm Gone - Abbi Glines (Rosemary Beach, #10)

 When I'm Gone - Abbi Glines


Impossível de largar. Mase conseguiu ser melhor do que eu esperava. Ou seja, Abbi Glines se superou nesse volume. Quando se acha que não dá para explorar nada novo ela vai lá e mostra que estamos errados.

Nesse livro a ação é bem mais centrada no casal e não na comunidade. Mase se vê na ponte aérea para conseguir o que quer. Ele se divide até o final entre suas obrigações como administrador do Rancho e cuidar dessa garota que virou sua vida do avesso.

Reese tem 22 anos e tem um passado que a persegue e por isso é assustada e desconfiada. Apesar disso está tentando viver sua vida e dar a volta por cima. É aí que ela chega a Rosemary beach.

Mase está de passagem para visitar Harlow quando a conhece. Desde o início ele assume uma postura protetora tentando manter distância. Ele percebe que ela tem suas ressalvas e não quer pressioná-la. Sem querer ele descobre sua dificuldade em ler e escrever e decide ajudá-la, mesmo sem poder estar do lado dela o tempo todo.

Gostei de ver o Jimmy como um personagem importante nesse livro. Ele é vizinho de Reese e é quem a ajuda a conseguir trabalho e se torna a única pessoa a conseguir realmente se aproximar dela. Ele não representa uma ameaça. Por isso acaba sendo um grande aliado de Mase nessa empreitada que é mostrar a Reese o quão inteligente, esperta e bonita ela é.

Teve algumas decisões que me deixaram cética como o Jimmy pedir para o Thad dar carona a ela. Com tanta gente naquela praia, por que raios ele iria pedir isso a um dos maiores mulherengos da área? Não faz sentido. 

Nan reaparece. Sendo a vadia de sempre, mas deu pena. Ela enfim se dá conta de quanto o relacionamento dela e de Rush está por um fio. E isso a apavora. Será que é um indício de que ela vai pensar um pouco mais antes de agir? Major faz algumas aparições relâmpago e reafirma sua vontade de dar um trato na irmãzinha do primo. Será que isso significa que ele e Nan vão ter algo? Diz que sim! Se merecem.

Eu favoritei. Mas isso não diminui minha revolta com as últimas páginas. Tava bom demais para ser verdade. Aí eu levo um clichezão na cara. Nem precisa dizer que eu estou maluca para ler a continuação e qualquer outra coisa que ela escreva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário