1 de agosto de 2015

RESENHA: One More Chance - Abbi Glines (Rosemary Beach #8)

One More Chance - Abbi Glines


Incrivelmente incrível. Os primeiros capítulos eu achei que me levariam para mais uma história clichê quando se envolve um casal brigado e a mocinha grávida sem querer que o cara saiba disso. Mas Abbi Glines fez diferente. Logo ele descobre e a história dá um duplo twist carpado no quesito previsibilidade.

Harlow se mostrou uma garota forte, decidida e pé no chão. Ela resolveu que teria o bebê independentemente dos riscos mas não deixou de se preparar para todos os cenários possíveis. Eu realmente achei que ela iria morrer. Obrigada por salvá-la Abbi.

Grant que já era um fofo e um dos meus personagens masculinos preferidos me noucateou com tantas demonstrações de amor sincero e equilibradamente ser dominante e sensível. Ele teve os rompantes que eu odeio de sair agindo como o alfa dono da verdade e fazendo a mocinha parecer frágil³ mas foram só isso, rompantes. Teve momentos em que chorava feito criança, deixando seus sentimentos à mostra. Tanto que dava vontade de pegar no colo, abraçar e dizer que tudo ia ficar bem. 

Apesar da relativa rapidez do relacionamento, todos os maus momentos que eles passaram, os medos, os problemas, as desavenças com outros personagens, eu acreditei no amor que um sentia pelo outro. Harlow continua tendo um ar de menina, mas ela convence no papel de garota que sabe o que quer. Grant cresceu muito. Passou de playboy à um homem de respeito com mérito próprio. Soube escolher as batalhas que poderia enfrentar e ceder quando sabia que era melhor. 

Nan me surpreendeu. Quando ela decide ajudar eu chorei. Derramei rios de lágrimas. Eu chorei silenciosamente em outros momentos, mas a crise de choro que eu tive foi digna das que tenho em livros sobre o holocausto. Ela cresceu no meu conceito. Eu me vi tão apaixonada pelo amor de H&G que queria o final feliz de conto de fadas para eles. 

Kiro que sempre me deixou indiferente me garantiu algumas risadas mesmo em meio a tensão. A maneira como ele vestiu a ideia de pai enlouquecido para salvar a filha foi ótimo. Tragicômico. Mase continua formidável e o Major foi um belo acréscimo à trupe. Eu achei que ele seria perfeito para a Nan, Inclusive esperava que eles tivessem um vislumbre um do outro, mas não houve. E o capítulo dela me deixou com mais vontade de vê-la feliz. Me identifiquei. Será que por fora eu sou tão FDP que nem ela?

Fazia tempo que não ouvia música lendo, mas o fiz com esse livro. Logo no início Since You've Been Gone do Theory Of a Deadman se encaixou perfeitamente no sentimento do Grant e no último capítulo, sem querer, meu random me agraciou com Yes I Will dos BSB, e mais uma vez: perfeito. 

O próximo é do Tripp e da Bethy, mas estou sem pista alguma de como a autora vai aproximá-los. Sei que eles tiveram algo no passado, mas terminou tão mal que me deixou curiosa para ver o que ela vai inventar para isso acontecer.


Nenhum comentário:

Postar um comentário