17 de agosto de 2015

RESENHA: Maze Runner: Correr ou Morrer - James Dashner (Maze Runner #1)


RC 2015 - Um Livro que se tornou um filme

Maze Runner: Correr ou Morrer - James Dashner

Não tenho ideia. Resolvi ler pois queria uma distopia e também pois queria assistir o filme. Fazia tempo que eu terminava um livro e não sabia o que dizer dele. 

Eu me senti confusa durante grande parte do livro, Talvez esse seja o intuito do autor. Isso aliado aos neologismos dos garotos e aos erros grosseiros de tradução aumentaram meu desconforto ao ler.

O fato de eu ter terminado já é um fato positivo já que eu não me importo de abandonar leituras ou de deixá-las por eras no limbo. Apesar de toda a confusão mental que eu tive algo me aguçou a curiosidade. Eu queria entender, desvendar. 

Thomas até é um bom personagem mas se perde um pouco. Teresa não me deu indício nenhum de qualquer coisa, não sei se gosto ou não. Minho me conquistou de cara simplesmente por ser asiático, mas conforme o tempo passava ele crescia no meu conceito. Chuck uma graça, embora irritante em alguns momentos, mas tudo explicável pela idade. Newt e Alby também são personagens interessantes.

Talvez o título tenha me enganado. Eu realmente esperava mais interações com o labirinto e ele acaba se mostrando inútil, desnecessário. Outro fato é a dita 'inteligência superior' dos Clareanos. Poderia ter sido melhor aproveitada, já que a na maior parte do tempo eles pareciam ser adolescentes normais. Os grupos poderiam ter explorado melhor os tipos de inteligência. Do jeito que foi mostrado, eles serem criminosos ou potenciais criminosos faria mais sentido.

Telepatia? Virou X-Men? Não vi o propósito para isso. Talvez nos livros seguintes isso fique aparente. Aliás, do jeito que terminou não tenho vislumbre nenhum de onde isso vai dar. Só espero que parem de falar mértila e plong. Parece coisa de crianças de 8 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário