15 de agosto de 2015

RESENHA: A Esperança - Suzanne Collins (Jogos Vorazes #3)


RC 2015 - Uma trilogia

A Esperança - Suzanne Collins

(Palavrões). Depois do segundo livro eu realmente não esperava isso. Essa Katniss retratada nesse volume não parece ser a mesma dos outros dois. Não que eu esperasse que ela fosse a salvadora que ia sair atirando flechas e abrindo o caminho. Mas não esperava uma 'heroína' tão letárgica. Até o Peeta que até então não me convencia de nada fez mais nesse livro que ela. 

O pior é que eu terminei a leitura cheia de dúvidas. Depois de tantas cenas desnecessárias que poderiam ser cortadas no início, aquele final corrido e desconexo. Muitas explicações ficaram de fora para o meu gosto.

Não entendi muito bem a recuperação de Peeta. Se ele estava tão danificado e tinha sido alvo de algo que até então não tinha tratamento, como ele conseguiu voltar a ser quem era antes? Teria sido mais compreensível se ele permanecesse com ao menos um pouco de loucura.

Gale me surpreendeu negativamente. Pois além de lavar as mãos e deixar a Katniss sem aviso, ele em nenhum momento fez nada para realmente conquistá-la. Que amor é esse que ele tem que não acha necessário um incentivo? Foi garotão mesmo. Homem de verdade iria atrás de ao menos uma tentativa de reconquistá-la. E partir para o Distrito 2, depois de tudo, não faz sentido.

Finnick. O livro perdeu uma estrela na hora que ele morre. Que Gale ou Peeta tivessem morrido. Não faz sentido. Ele era um ótimo personagem e com uma história incrível. Pelo menos que tivesse sido uma morte mais memorável e heroica. Não gostei. 

Prim. A pequena menina que é salva pela irmã no livro um se torna uma mulher mesmo que com apenas 13 anos. Merecia mais consideração da autora. Outra morte estúpida e que eu não aceito. 

Estou desolada. Mais sem chão do que com o final de Divergente. Preciso de um final feliz. Esse, apesar de filhinhos no fim, não foi um.

Nenhum comentário:

Postar um comentário