29 de julho de 2015

RESENHA: A Primeira Chance - Abbi Glines (Rosemary Beach #7)

A Primeira Chance - Abbi Glines


Para tudo! Meu forninho caiu com vontade dessa vez. Estou desnorteada, acabada, destroçada, *ada³. O início é meio lento sim, mas o final é um verdadeiro nocaute. Sério. Fazia tempo que um livro não me deixava nesse estado de loucura depois do último parágrafo. 

Como esta coisa ainda não foi lançada de verdade, eu confesso que li uma tradução meia-boca porque depois dos capítulos de Grant e Harlow no anterior me deixaram mais desesperada que professor do Estado olhando o próprio contracheque eu precisava ler.

Abbi Glines no início me fez pensar que seus livros seriam um punhado de clichês, mas me enganei. Ela é simplesmente demais. Ela tem umas ideias sem precedentes que me espantam mesmo. Tudo sem perder o lado melodramático que amo. Eu me achava criativa e responsável por umas ideias loucas, mas ela já tá voltando com o bolo que eu acabei de aprender a fazer.

Harlow aparenta ser uma garota boazinha e sem atitude mas isso se prova ser o oposto. Eu tinha medo que ela fosse sem sal demais e que cairia na fórmula: menina indefesa (que se acha autossuficiente) +bad boy reformado (que se acha dono de toda a verdade) = romance avassalador e cheio de idas e vindas. E realmente em alguns momentos achei que ela fugiria dele como acontece com as duas outras mocinhas da série, mas ela fica.

Grant foi ao mesmo tempo meu mais amado e mais odiado protagonista dessa série. Não sei se por eu já ter ouvido muita coisa que ele falou mas dessa vez eu tive o insight do que ele estava pensando / achando/sentindo ao mesmo tempo e então as ações dele tinham uma justificativa.

Ambos se mostraram inseguros, o que de certa forma atrapalha na relação deles, mas contribui para a história. É aquela coisa que a gente se pega perguntando porque raios tal personagem fez isso ou aquilo, que é estupidez mas se ele não fizer não tem história.

Porém em nenhum momento eu quis dar uma voadora no Grant como eu quis em Woods e em Rush. Harlow precisava de umas sacudidas mas o fato de ela ser marinheira de primeira viagem no quesito relacionamentos com o sexo oposto a deixaram livre das minhas reprimendas habituais.

Mase definitivamente é um ótimo adendo a essa família. Nada como um texano para fazer um romance ser imperdível. Meninas que amam texanos e seus chapéus e corpos sarados, suados montados em um cavalo. Aguardem, Abbi nos concederá esta oportunidade. Embora seja apenas no #11 e este é o #7. É, acho que não conseguirei esperar e lerei em inglês mesmo. Ai meu pai....

Nan por sua vez teve o que merece e não senti pena.

Já aviso, quem quiser me dar de presente quando sair de verdade eu não me importo. E só para não perder o costume. A arqueiro me tem como refém. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário