7 de março de 2015

RESENHA: Vida Assistida - Tess Gerritsen


DESAFIO LITERÁRIO DO SKOOB 2015
Escritoras com 'A' Maiúsculo - 03/12

Vida Assistida - Tess Gerritsen

Mais uma vez não precisei pensar muito para escolher a leitura do mês. Eu amo tudo o que essa mulher escreve. Ela não decepciona. Durante a leitura é palpável o trabalho e esforço a que ela se propõe quando escreve um livro. É um comprometimento com a veracidade e possibilidade real de as coisas acontecerem como descritas. É só olhar a bibliografia que vem na última página do livro.

A personagem principal da vez é a Drª. Toby Harper, uma médica de emergência de 30 anos de idade que se divide entre os seus plantões noturnos e cuidar da mãe idosa e portadora de Alzheimer. É claro que há uma série de antagonistas dispostos a fazer da vida dessa mulher algo mais miserável.

Quando um paciente idoso e sem diagnóstico desaparece em seu plantão sua vida que já não é fácil se torna um inferno. Acusada de negligência, Toby começa uma guerra contra seus superiores e com um dos médicos do Asilo em que o paciente desaparecido era tratado. Um asilo de luxo, onde ricaços aposentados pagam milhares para ter uma vida de reis.

Há também um plot paralelo, a adolescente Molly Pickler tem 16 anos e vive como prostituta. Depois de ser enviada para um dos clientes mais estranhos que já teve em sua curta carreira ela se vê grávida, mesmo sempre tomando todos os cuidados necessários para evitar uma situação dessa. 

Nesse momento a tensão no livro é grande, há cenas dignas de filmes de perseguição policial, outras de dramas familiares, e claro o bom e velho drama hospitalar. Cada personagem que entra na história tem alguma característica que faz dele um bom suspeito de algo. Você pode até não saber do quê, mas alguma coisa errada o sujeito fez.

Nessa confusão toda, Tess até achou para um pouco de romance. O Dr. Dvorak é o médico-legista do condado e acaba se envolvendo nas teorias conspiratórias que Toby vai desenhando na cabeça. Ela está disposta a tudo para provar sua inocência em relação a todas as acusações que sofre durante  toda a história (e não são poucas) e arrasta o legista junto. 

Nesse meio-tempo a única pessoa que acreditava nela e compartilhava de suas conclusões é assassinada na porta do hospital que Toby trabalha, deixando-a mais ainda com cara de louca para todos ao seu redor. Por conta de todos esses acontecimentos ela não vê o que está acontecendo bem na sua casa.

A situação dela se torna mais ainda crítica quando sua mãe é hospitalizada com suspeita de envenenamento e maus-tratos. Devido aos problemas quem vem enfrentando no trabalho, a polícia recai sobre ela como suspeita mais provável e ela embarca numa jornada sem escalas para tentar provar sua inocência e provar quem são os verdadeiros culpados em todas as acusações. Mesmo que tenha que fazer sozinha.

O plot da menina, Molly, me surpreendeu, eu imaginava um resultado ligeiramente diferente para a história diferente, mais uma vez Tess Gerrisen optou por não ir pelo caminho mais óbvio. Alguns resultados foram similares aos que eu imaginei mas não tiveram uma explicação tão simplória como as que eu arquitetei. A autora vai mais fundo. Nada é tão simples. Achei interessante também que o título em inglês 'life support' realmente se adequa a mais de uma das situações apresentadas. A expressão não fica limitada somente ao seu significado real, mas a toda uma série de conotações. 

É uma obrigação de todo e qualquer fã de livros policiais/ suspense / médico ler esse livro. É uma obrigação ler e ter em casa toda a bibliografia dessa maravilhosa escritora. Que aliás conta com meu apoio em seu processo contra a Warner acerca da acusação de plágio do seu livro Gravidade. As semelhanças entre o livro dela e o filme são imensas demais para serem ignoradas. We are there for you, Tess.

2 comentários:

  1. Evelyn,
    Nunca li nada da Tess. O estilo dela é sempre esse suspense mais focado em hospital? Você me parece uma fã, qual livro você me recomenda começar?
    Bjus,

    Dani Moraes
    www.asverdadesqueopinoquioconta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Dani! Sim, sou fã de carteirinha. Os livros dela sempre tem um fator médico, mesmo que seja apenas no lado da Patologia. Para começar um bom título é 'O Jardim de Ossos'. Todo mundo adora esse livro.

    ResponderExcluir