18 de fevereiro de 2015

RESENHA: Paixão Sem Limites - Abbi Glines (Rosemary Beach #1)

LV 03/2015

Paixão Sem Limites - Abbi Glines


Pude ler esse livro através da Cortesia que a Editora Arqueiro cedeu para o grupo Livro Viajante do skoob. Lembro de ler sobre ele e não me empolgar, mas livros viajantes dando sopa a gente não nega se tiver tempo e como eu estou numa vibe de romances decidir arriscar.

Preciso dizer que gostei muito da história, foi uma grata surpresa. Os protagonistas são intrigantes e as relações entre eles e os demais são realmente críveis e bem contemporâneos e sem a ridícula ilusão de que podemos nos apaixonar e casar e viver felizes para sempre em uma semana. É um romance permeado por segredos e percalços. Alguns dignos de novelas mexicanas. Mas eu amo novelas mexicanas.

Blaire. Achei ela uma menina madura e corajosa aos 19 anos. Vida difícil e noção clara de que precisa se virar sozinha e não deve ter esperanças de obter algo de seu próprio pai. Chega na cara e na coragem no endereço que seu pai deu para saber somente lá que ele não está e que a casa é do filho da nova esposa. Situação embaraçosa que se torna mais esquisita pois há uma festa acontecendo. Conhece então os irmãos, filhos da 'Madrasta': Rush e Nan e Grant o filho agregado.

Rush é o rapaz / galã / ricaço que é dono da casa, irritantemente lindo e claro: estúpido como somente homens dessa estirpe conseguem ser. Desde o momento em que Blaire chega, há uma fileira de mulheres que se jogam em cima dele e que ele traça sem piedade. 

Aliás, a maneira como a autora descreve e retrata essas situações me agradou muito por conter traços que eu já presenciei e vivi. Conforme eles vão se conhecendo e se envolvendo me deparei com diálogos e situações que me são bem familiares, já estive no lugar deles. 

Dentre os outros personagens gostei muito de Woods. Ao saber que ele terá sua própria trilogia me animei. Mesmo ele tendo um perfil mais batido de mocinho nada bonzinho de romances. Será que me enganei? Não sei, mas só essa expectativa já vale a espera pela leitura. 

Achei curiosa a interação inicial entre Blair / Rush / Woods. Me lembrou um bocado de alguns plots em k-dramas. Aliás, consigo visualizar essa história sendo retratada em Gangnam facilmente. Quem sabe Lee Min Ho como um Rush. Delírios a parte... é uma história gostosa de se ler. Bem atual, com diálogos bem naturais, cabíveis a qualquer casal seja lá fora, seja aqui no Brasil.

E o melhor é que não teve um final feliz! Não que eu não quisesse isso, mas foi algo inusitado para o gênero e ver que a relação entre eles vai demorar um tempo mais normal para se estabilizar, ou quem sabe não. Nem tudo são flores e contos de fadas. Yay!





Nenhum comentário:

Postar um comentário