26 de fevereiro de 2015

RESENHA: Não Posso Me Apaixonar - Bella Andre (Os Sullivans #3)

Não Posso Me Apaixonar - Bella Andre

Não poderia mas me apaixonei. Gabe Sullivan definitivamente é tudo o que li na net e mais um pouco. E Megan é uma das melhores mulheres fictícias por quem tive o prazer de torcer a favor nos últimos tempos.

Foi até engraçado pois nos dois primeiros livros eu me queixei de não ter vislumbres dos demais irmãos, porém Bella Andre atendeu minhas suplicas nesse terceiro romance. Foi muito divertido ver um pouco de Sophie que até então era meio apagada e de Ryan, que virou meu queridinho. Quero muito ler a história dele e espero que a autora conceba uma mulher a altura do jeitão dele. 

A cena inicial é tensa. Super eficaz em nos mostrar como é o caráter e a índole desses dois personagens. É palpável a segurança, seriedade e comprometimento que Gabe tem com seu trabalho, uma verdadeira vocação. Megan também mostra ser uma mulher forte e decidida, que ama a filha e faria de tudo para garantir que a menina fique bem.

Summer tem 7 anos e uma personalidade explosiva e encantadora. Ela domina a cena sempre que aparece, fazendo com que entendamos o porque de Gabe se apaixonar não só pela mãe, mas pela filha e não ter medo de ir contra as próprias regras.

O desenrolar da história é muito gostoso e natural. Foi crível. Outra das minhas queixas quanto a essa família foi atendida, Megan e Gabe não se apaixonam na velocidade da luz, há tensão sexual e desejo desde o início sim, mas o carinho e a devoção vão surgindo aos poucos. Durante esse tempo é que Gabe mostra ser um verdadeiro Príncipe Encantado. Ele tem paciência, eloquência, determinação e acima de tudo sabe respeitar a mulher a frente dele.

Há uma cena em especial, quando ele tem um sentimento primitivo de posse. Mas que ao meu ver foi normal, sem ser machista. Ele a ama, quer ela ao seu lado o tempo todo, mas ele não a toma, ele a conquista. Em nenhum momento ele a forçou ou a ludibriou a fazer algo. O que eu vi foi uma capacidade incrível de lê-la, de entendê-la, em partes, até antes dela mesma. Quem não quer um amor assim?

Nenhum comentário:

Postar um comentário