26 de fevereiro de 2015

RESENHA: Aqueles que Nos Salvaram - Jenna Blum

Aqueles que Nos Salvaram - Jenna Blum

Incrível. Foi essa a única palavra que saiu da minha boca ao fechar o livro. Jenna Blum escreveu essa história de maneira magnífica e envolvente. Aqueles que nos salvaram narra a vida de uma jovem mulher cristã alemã desde o princípio da Guerra até os dias atuais (1993 - 1997).

Anna tinha 20 anos quando tudo começou, seu pai era partidário ferrenho do 3º Reich e mesmo assim ela se apaixonou e escondeu um judeu em sua casa, mas como na vida tudo pode dar errado, e para Anna e seu amor, deu. Max é descoberto e levado e ela então se vê grávida e sozinha. Consegue abrigo com a dona de uma confeitaria e lá se envolve ainda mais na Resistência.

Nos dias atuais vemos Trudy, a filha de Anna, que hoje é professora de História Alemã e trava uma batalha interna acerca de seu passado, já que não lembra de muito além do Oficial da SS que foi sua figura paterna durante os anos de guerra.

Anna era nova e fez o que estava a seu alcance para proteger a filha. Depois da morte inesperada de sua protetora ela se vê forçada a se submeter a um dos oficiais da SS e manter-se calada para não ter destino parecido ou pior que da outra mulher. Sem contar com o destino que sua pequena teria.

Vejo Anna como uma mulher forte, decidida e com um autocontrole invejável. Ela se isolou durante a guerra e manteve o casulo até os dias de hoje. Esconde a verdade do seu passado em parte para proteger a si mesma, mas em grande parte para tentar dar uma vida normal a Trudy enquanto essa crescia. 

A autora fez grande pesquisa, e com certeza existiram muitas Anna's durante aqueles anos terríveis. Mulheres que fizeram coisas de caráter duvidoso para que elas e suas proles não morressem. É fácil para nós hoje, na 'segurança' de nosso sistema democrático dizer que elas deveriam ter agido diferente. Mas ao fazer uma análise mais detalhada, não é tão fácil assim. Um regime conhecido pela crueldade sem limites e sem motivos como foi o Nazismo dá espaço para qualquer um pensar só em si mesmo e nos mais próximos. Uma palavra dita na hora errada poderia render uma bala na sua cabeça.

Durante os capítulos atuais, Trudy envolve-se em um projeto de Memória e resolve ouvir o outra lado da moeda. Sua mãe nunca fala nada sobre os anos vividos na Alemanha nazista, portanto para entender a si mesma ela começa a entrevistar alemães que vivenciaram esse lado. Ela quer saber como eles viveram, o que pensavam acerca do que estava acontecendo. É através de um desses entrevistados que ela descobre a verdade sobre si mesma e sobre a mãe.

É um livro lindo que conta o dia-a-dia de medo que os residentes de Weimar tiveram durante os anos de funcionamento de Buchenwald. Mostra que mesmo para os não-judeus a vida não foi o mar de rosas que alguns acreditam que tenha sido. Ainda mais para cidades que eram grudadas às cercas de arame de um campo de concentração. Muitos saíram quando puderam, mas outros não tinham opção. Para mim, alguns devem ter pensado naquela frase: 'Mantenha seus amigos perto, e seus inimigos mais perto ainda.'


Nenhum comentário:

Postar um comentário