7 de janeiro de 2015

RESENHA: As Luzes de Setembro - Carlos Ruiz Zafón (Niebla #3)



Desafio Literário do Skoob / RC 2015
01/12 - Novinho em folha / Livro de suspense ou mistério


As Luzes de Setembro - Carlos Ruiz Zafón


Ganhei este livro da Marina Ricci no AS de natal do LV. Achei legal que comecei e terminei 2014 com Zafón e cá está ele de novo em um desafio. Adoro o estilo dele.

Este é o meu preferido até então. É o quarto que leio, fechando os livros juvenis do autor. Mesmo assim, achei os personagens adolescentes desse mais adultos que os demais. Irene tem 14 anos mas aparenta ser mais velha e Ismael tem 16 anos.

O livro começa com uma carta dele para ela que já planta o suspense. O enredo começa em Paris quando a família Sauvelle ainda luta com a instabilidade após a morte de Armand, o pai. Depois eles vão para Baía Azul, uma cidadezinha litorânea na área da Normandia onde a mãe, Simone, consegue emprego como governanta de uma mansão: Cravenmoore. O irmão de Irene, Dorian, recebe o cargo de garoto de recados para o dono do lugar.

Há um toque de romance diferente dos outros livros, Irene e Ismael realmente ficam bem juntos,e os cenários descritos são encantadores e ao mesmo tempo misteriosos. E além deles, Simone e Lazarus Jann, o dono, também ensaiam ser um casal.   Dorian é uma graça de personagem, queria tê-lo visto mais. Hannah, que também trabalha lá é outra peça. São poucos personagens e todos são bem desenvolvidos. 


Quando Lazarus diz que eles não devem em hipótese alguma irem à Ala Oeste eu me senti em 'A Bela e a Fera'. Nem precisa dizer que em algum momento ao menos um deles vai parar exatamente lá, não é? Mais uma vez há bonecos na estória, e quando se trata de Zafón, nada é por acaso. Ele trabalha como o mito do Doppelgänger de uma maneira bem interessante, e eu demorei para sacar o que acontecia. Esse autor tem esse poder em mim. 

Ele lança várias pistas e só quase no final é que a gente descobre (ou não) a origem de tudo. O suspense nos últimos capítulos são palpáveis, misturados com um tom de aventura bem contagiante. O livro termina com outra carta, mas dessa vez de Irene para Ismael. Mas como de praxe para Zafón, você não sabe de verdade se Ismael leu ou não. Agonia! Adorei de verdade, e quero muito conhecer os livros adultos dele.

Quote incrível de Dorian Sauvelle depois de comer bombons:"Povo engenhoso, os suíços, Relógios e chocolates: a essência da vida."

 



Nenhum comentário:

Postar um comentário