30 de dezembro de 2014

RESENHA: O Palácio da Meia-Noite - Carlos Ruiz Zafón (Niebla #2)

Leitura Extra
32/2014

O Palácio da Meia-Noite - Carlos Ruiz Zafón

Envolvente do início ao fim como de costume. Zafón definitivamente não me decepciona. Me vi transportada para o cenário da vez: Calcutá entre 1916 e 1932. 

Os personagens que compõem a Chowbar Society são todos cativantes, cada um a sua maneira, qualquer um que fosse retirado faria falta, não há coadjuvantes entre esses 7 adolescentes. 

Sim, a história gira em torno de Ben e Sheere mas se cada personagem não tivesse trazido um pouco de sua essência para a jornada deles o impacto não teria sido o mesmo.

A mitologia e o folclore local foram sabiamente incorporados à trama de maneira que mentes mais férteis como a minha conseguem imaginar tais relatos realmente acontecendo. A mistura entre real e imaginário, sanidade e loucura é tão bem feita que não dá pra realmente saber quem é louco e quem é são. Poderia muito bem se tratar de um delírio coletivo.

Seria a alma humana tão poderosa que em determinadas circunstâncias ela permaneceria à nossa volta de forma consciente e tão palpável? A única incógnita que tive ao fim da leitura foi saber o que Jawahal viu nos olhos de Ben que o derrotou. Cabe ao leitor definir. 

As cenas de ação são muito bem descritas nesse livro, comparáveis à narrativas de alguns livros de guerra e crime que li ao longo dos anos. Sabendo que esse não é foco principal desse enredo, é interessante ver que tais detalhes tiveram a atenção do autor, é tudo bem possível, deixando a fantasia para o resto da história.

-----------

Creio que não terminarei a leitura de mais nada até as 23:59 de amanhã, portanto esta é minha última resenha do ano, e não poderia ter escolhido enredo melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário