5 de janeiro de 2014

RESENHA: Traições - Lili St. Crow (Strange Angels #2)


Diversidade Literária 2014
01/12 - Fantasia

Traições - Lili St. Crow (Strange Angels #2)


Estava bem ansiosa por esse livro. O primeiro da série me deixou muito surpresa, a sinopse me prometia algo e a história me levou a outro lugar. O final teve uma deixa perfeita para essa continuação, mas... Acredito que minhas expectativas estavam muito altas. Comecei a ler e fui seguindo o fluxo arrastado até que me dei conta que estava na página 111 e o livro estava se assemelhando a muitos outros com o tema de adolescentes sobrenaturais em uma escola especial. Mas sem nenhum diferencial que o destacasse.

"Um terço do livro lido e está caminhando para um cenário totalmente diferente do que esperava depois do primeiro. Caindo na mesmice das histórias sobre escolas sobrenaturais e perdendo a originalidade do princípio." (Histórico de leitura no skoob - 03/01)

Mas não me dei por vencida, acho que por ser livro de desafio me forcei a continuar e terminar a leitura sem arrastá-la por semanas. Foi então que tive uma surpresa agradável. Quando Dru sente sede de sangue pela primeira vez, a autora conseguiu o que eu humildemente classifiquei como uma das melhores descrições já lidas por mim desse momento. Extremamente visceral e explicativa.

"(...) Daí eu me liguei que também estava fazendo um som esquisito, um som alto e penetrante, com interrupções estranhas, quando minha traqueia trancou e eu tive que respirar. O cheiro me atingiu - cobre, quente e bom. Acertou um lugar bem na parte de trás da minha garganta que eu nunca soube antes que existia, bem perto da área que as pessoas normais não tem. Aquela que me avisa que algo bizarro vai rolar. Aquele cheiro vermelho, de cobre, ia até lá embaixo e rasgava o mundo. (...) 

Queria tirar todos eles do meu caminho na porrada e colocar minha cara na garganta do lobisomem ferido. Queria beber. Uma sede intensa se arrastava para fora de mim, vinda lá do meio da minha garganta, e se espalhava por todo o meu corpo. Eu estava seca, estalando e queimando, e a única coisa que iria conseguir extinguir o fogo era o líquido doce e vermelho cujo cheiro eu podia farejar por todos os locais. Ele formava uma conexão dentro da minha cabeça, que sussurrava e me persuadia, e meus dentes passaram a doer de tão sensíveis. Eu quase conseguia senti-los aumentar. Meu cabelo pinicava, e cada milímetro do meu corpo acordava de novo. (...)" (p.142)

Nesse momento eu achei que a coisa ia engrenar. Felizmente assim foi. Não parei mais de ler apesar de algumas passagens de excessiva descrição de memórias que a Dru tem do pai e de quando caçavam juntos. Então me dei conta que a mesma característica que tanto me incomoda é a que tanto gosto nessa autora. As descrições. O problema é que eu não curto essa viagem contínua pela Memory Lane. Mas adoro quando os autores descrevem cenas de ação de forma que nos sintamos no lugar do personagem.

Outra coisa no livro que me deixou intrigada e pensativa foi a relação que a menina tem com o medalhão da mãe. Toda hora ela comenta sobre, seja quando ela segura ele como um porto seguro, as sensações térmicas dependendo da situação que ela se vê, ou o instinto de mantê-lo sempre sob as roupas, longe da vista dos demais, até de Graves. O título é realmente coerente. Todos supostamente traem todos, cada um tem seu objetivo pessoal, tem segredos e pedem para que se confiem neles. Terminei o primeiro livro confiando em Christophe, durante esse livro fiquei com a pulga atrás da orelha. Até Graves em um momento me deixou desconsertada.

A história retoma os padrões do livro 1 quando eles fogem loucamente da Schola. De novo a autora me deixa embasbacada com as descrições de como eles fogem, como é feito o deslocamento. Mais para o final e acabando por ser uma das minhas partes favoritas é quando a casa que eles passam a noite é invadida por vampiros e eles mais uma vez tem que sair correndo. É possível sentir a adrenalina e foi impossível deixar o livro até que eu lesse a última palavra. 

Enfim, se você leu o primeiro e gostou como eu, leia esse.
"Não se deixe abater e siga em frente."





Nenhum comentário:

Postar um comentário